0800-600-9595 / 3025-9595


Serviços
SPC
SPC
COB Online
COB Online
Certificado Dig
Certificado Digital


Notícias
Noticia Curso EAD III
Maringá registra o melhor saldo de exportação desde 2014

Em setembro, a balança comercial de Maringá somou US$ 230,18 milhões. Em comparação ao mesmo mês do ano passado houve incremento de 123,4%. Comparando a ago

Noticia Curso EAD III
Summit discute sustentabilidade e projetos sociais

O Instituto ACIM realizará a segunda edição do Summit 2020 Maringá (Pacto Global Signatários), para instruir, conscientizar e promover ações em prol

Noticia Curso EAD III
ACIM e Codem recebem primeiros candidatos a prefeito para apresentação de propostas

Em reunião presencial, respeitando medidas de distanciamento, e também online, a Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM) e o Conselho de Desenvolvime



Cursos
EAD
Microsoft Excel - Gestão 360º


EAD
Como Vender para o Governo



Banner


Eventos
Maringá Liquida
Maringá Liquida
Aniversário do Empreender
Aniversário do Empreender
Prêmio ACIM Mulher
Prêmio ACIM Mulher


Empreender
Imagem

MISSÃO:

Promover a transformação das empresas e empreendedores por meio do associativismo....



Institucional
Imagem

QUEM SOMOS

A ACIM - Casa do Empreendedor de Maringá, hoje com mais de 5 mil associados, está sempre em busca de boas ideias ...



QUEM SOMOS

A ACIM - Casa do Empreendedor de Maringá, hoje com mais de 5 mil associados, está sempre em busca de boas ideias que possam estimular o desenvolvimento de Maringá. E é por meio do apoio aos associados que a ACIM tem no associativismo um dos principais pilares da economia regional.

...

Imagem de exemplo genérica


Notícias
Pesquisa da ACIM revela lista de compras e valores com Dia das Crianças
Pesquisa da ACIM revela lista de compras e valores com Dia das Crianças

Na lista de presentes para o Dia das Crianças, brinquedos lideram, com 31% das intenções de compra dos consumidores, mas inclui confecções (25%), calçados (19%), celular (6%) e até animal de estimação (3%). É o que revela pesquisa da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM) junto a 486 consumidores – o erro amostral é de 3,7%. Os consumidores pretendem gastar de R$ 50 a R$ 150 em cada brinquedo, roupa ou calçado. Já com o celular, o valor sobe para R$ 200 a R$ 250, com o notebook o valor investido será de mais de R$ 400, com o tablet, de R$ 200 a R$ 300, e com o PET, de R$ 150 a R$ 200. O estudo mostrou ainda que 73% dos consumidores gastarão menos neste Dia das Crianças do que no ano passado, mas 27% vão investir mais. Pais lideram a lista dos compradores, com 41% dos consumidores, seguidos por tios, com 25%, e avós, com 15%. A pesquisa revela também que 77% devem comprar um ou dois presentes, sendo que 66% farão compras em lojas físicas. E mesmo quando a opção for feita na loja presencial, 36% pesquisarão os preços, primeiro, na internet. A pesquisa foi feita nas principais vias comerciais da cidade e tem patrocínio da Crefaz, Supermercado do Bebê e PB Kids.

ACIM e parceiros oferecem programa gratuito para inovação
ACIM e parceiros oferecem programa gratuito para inovação

Mais difícil do que ter ideias inovadoras é tirá-las do papel. E já dizia o inventor de lâmpadas, Thomas Edson: “a genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração”. Para auxiliar empreendedores a dar o primeiro passo e colocar a mão na massa, a Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM), em parceria com o Sebrae/PR, Sicoob e a Evoa Aceleradora, lança o programa ‘Inovus - Teste sua ideia’, com participação gratuita. As inscrições estão abertas até 16 de outubro, no site: rd.acim.com.br/inovus-teste-sua-ideia Por meio de uma jornada cuidadosamente desenhada, os empreendedores serão conduzidos a avaliar e validar suas ideias para, posteriormente, construir o produto/serviço. O programa adota as metodologias de Ideação e Design Thinking desenhadas pela Evoa Aceleradora, que são as mesmas dos cursos de Startup School da Y Combinator - aceleradora de startups sediada no Vale do Silício -, da SaaStr University e Lean Startup. Podem participar do programa os interessados em desenvolver uma ideia de negócio, independente do setor de atuação. Serão aceitos projetos de novos empreendedores, ou seja, pessoas que desenvolverão seu primeiro negócio, ou de empresas consolidadas que querem colocar um novo projeto em prática. Serão selecionadas até dez ideias, de acordo com os requisitos descritos no edital. Das dez vagas, três são exclusivamente destinadas aos associados da ACIM. O resultado será divulgado em 28 de outubro. A jornada consiste num conjunto de quatro bootcamps de formação, que ocorrerão entre 3 e 30 de novembro. Durante esse período, os participantes terão um mês de imersão no ambiente do Inovus, bem como auxílio de toda a rede de mentores da ACIM e Evoa Aceleradora. Caso haja desistência do programa, o participante/equipe deverá reembolsar as entidades envolvidas em R$ 10 mil. Serão considerados desistências a não participação dos encontros presenciais ou online e o não comprometimento em fazer as atividades propostas pelo time de facilitadores. Cada caso será avaliado individualmente.    Cronograma do “Inovus - Teste sua ideia” 03/11 - 19h às 21h - Lançamento 04/11 - 19h às 22h - Bootcamp 1 - Com ter ideias 10/11 - 19h às 22h - Bootcamp 2 - Como validar ideias 17/11 - 19h às 22h - Bootcamp 3 - Construindo seu protótipo viável (MVP) 24/11 - 19h às 22h - Bootcamp 4 - Técnica de Pitch 30/11 - 19h às 22h - Apresentação dos resultados e encerramento   Benefícios Além de participar do programa gratuitamente, os empreendedores terão os seguintes benefícios à disposição:  I. US$ 10 mil em créditos promocionais da AWS válidos por até dois anos; II. US$ 5 mil para acesso ao Business Support AWS, válidos por um ano; III. US$ 80 em créditos para laboratórios de treinamento AWS FAQ sobre os benefícios I, II e III: https://aws.amazon.com/pt/activate/faq/; IV. Participação em uma reunião de Failday e uma reunião de brainstorming coletivo promovidos pelo programa Clube EVOA; V. Duas horas de mentoria individual (time de mentores da EVOA Aceleradora) para cada time de empreendedores até o final de 2020; VI. R$ 30 mil em crédito do Sebraetec para prototipação da ideia (válido até 2021, conforme regras do programa); VII. Duas horas de consultoria adicional com especialista do Sebrae/PR (válido até 10/12); VIII. Acesso à comunidade digital do Sebrae/PR com 100 horas de conteúdo sobre Empreendedorismo e Inovação; IX. Acesso ao portal do Sebrae/PR, com 40 horas de cursos online disponíveis; X. 50% de desconto nos cursos ofertados pela Escola de Negócios ACIM, exceto cursos de parceiros (válido até junho/2021); XI. Participação em uma reunião dos Conselhos da ACIM; XII. Acesso às palestras e cursos oferecidos exclusivamente aos associados ACIM (válido até junho/2021); XIII. Duas horas de utilização adicional do espaço Inovus e/ou salas adjacentes para desenvolver a ideia (válido até junho/2021).

A cartilha do bom atendimento
A cartilha do bom atendimento

Estar informado, ter paciência, entender a necessidade do consumidor e investir em pós-venda… eis a receita de ser um bom vendedor, mas, na prática, nem sempre é fácil     São mais de 30 anos trabalhando com vendas e uma trajetória que serve de exemplo: Luíza Viero é vendedora da Pipiuí Moda Infantil há 19 anos e raramente não alcança a meta. “Na verdade, além da meta da empresa, estabeleço meu objetivo mensal, sempre acima do que a empresa espera, e é muito difícil que eu não alcance”, diz. Com alegria e disposição, ela conquista clientes fiéis, gente que chega à loja e faz questão se ser atendido por ela. “Chamamos isso de preferência, ou seja, com aquele cliente, eu estabeleci uma relação de confiança, e isso gera a fidelidade”, revela. Luíza admite que mesmo com a experiência de anos e cursos, nem todas as vendas são fáceis, em algumas é preciso ‘decifrar’ o que o cliente deseja, mesmo sem que ele saiba explicar. “O segredo é ter paciência e ouvir o que o cliente tem a dizer, e aí, conhecendo bem os produtos, o vendedor é capaz de conduzir a venda de forma que a necessidade do consumidor seja plenamente atendida”, aconselha. Segundo ela, um bom profissional é aquele que consegue vender desde uma roupa a um carro, mas para isso é fundamental conhecer o produto. Outra estratégia a que Luíza atribui seus bons resultados é o pós-venda. “Sem dúvida, é muito importante. É uma forma do cliente se sentir lembrado e valorizado”, diz. No dia a dia ela mantém contato com a clientela por meio de ligações e mensagens e, desde que começou a pandemia, a loja passou a fazer vendas online e entregas a domicílio. Produtos e atendimento premium No mercado desde 1996, a Revest Acabamentos inaugurou há um ano a Revest RED, um espaço exclusivo com produtos e marcas de alto padrão. “Aqui os clientes encontram os lançamentos do segmento de luxo em louças, metais, porcelanatos, pedras naturais, revestimentos cimentícios, pisos vinílicos, spas e banheiras de imersão”, afirma o gerente de vendas, Paulo Pazini. Na loja, além dos produtos, o atendimento é premium. Dos sete colaboradores, quatro são consultores de venda especializados em acabamento e, segundo Pazini, estão aptos a apresentar todas as características técnicas e explicar como cada uma se reverte em beneficio para o cliente. “Trata-se de um atendimento especializado que demonstra credibilidade e gera confiança na compra”, diz. Para manter o time de vendas alinhado e atualizado, a loja oferece treinamentos e formações constantes em parceria com os fornecedores, e depois de uma retração nas vendas no início da pandemia, agora o fluxo têm registrado aumento crescente. Pazini lembra ainda que uma boa exposição dos produtos é fundamental para encantar os clientes e despertar o desejo. “Contamos com showrooms aconchegantes que servem de inspiração para projetos”, afirma. Outra forma de conquistar e fidelizar o cliente, no caso de acabamentos para construção, é ter estoque disponível, para isso, a empresa investe em compras expressivas.   Atender é vender Seja em lojas físicas ou virtuais, em tempos de pandemia ou não, o atendimento é a porta de todo negócio e a peça-chave para vender e fidelizar. O cenário de pandemia, porém, muniu o consumidor de informação e ampliou seus horizontes sobre as formas de compra, segundo o professor e palestrante Nailor Marques Junior. “Não é que o consumidor ficou mais exigente, é que ele sabe mais. Na pandemia, o consumidor passou a comprar de modo presencial e virtual. Como ficou mais tempo na rede, começou a perceber que existem diferentes modos de ser atendido. No geral, não acredito que muita coisa tenha mudado no atendimento, porque a boa educação é uma roupa que veste em qualquer lugar”, reforça. De acordo com ele, a neurociência mostra que o consumidor busca viver uma experiência de compra positiva. “A primeira impressão que uma pessoa forma leva 11 segundos, ou seja, é muito rápido. E o que se pode fazer nesse tempo? Olhar nos olhos de alguém, o que transmite segurança, e sorrir, o que quer dizer que você está aberto para qualquer conversa. No atendimento virtual, é importante falar dos benefícios, porque o consumidor não consegue entender o produto, mas entende o benefício que aquilo traz”, explica. No atendimento presencial, o primeiro passo é demonstrar interesse. “O simples fato de demonstrar interesse por alguém já melhora demais a relação”, destaca o professor. Já no ambiente virtual, é importante evitar caminhos longos. “Aquele atendimento de aperte um, dois, cinco e você nunca chega aonde quer, pode irritar o consumidor. Há uma tendência das empresas colocarem as ditas inteligências artificiais com algum nome amigável, imitando a voz humana. Se essa máquina não leva o consumidor para onde ele quer rapidamente, quando chegar ao destino, estará irritado”, detalha. Além disso, o ambiente virtual exige equilíbrio: é importante ter um atendimento próximo sem, contudo, bombardear com mensagens. E afugentar o consumidor é mais comum do que se pensa. “Basta mostrar má vontade, pouco-caso, dizer 'espera um minutinho' e não voltar nunca mais. Ou então, ninguém se oferecer para atender por achar que aquela pessoa não pode comprar o produto que está sendo colocado ali. Além disso, se o consumidor é mal atendido, ele não só deixa de comprar, como vai às redes sociais da empresa falar da experiência negativa que teve”, frisa. Por outro lado, o bom atendimento cria oportunidade de venda. “Existem situações em que a pessoa não entrou na loja para comprar, mas gostou tanto da forma como foi atendida, que compra”, acrescenta o professor. Caso a empresa não ofereça o produto que o consumidor busca, há alternativas, entre elas, pedir o telefone e entrar em contato quando o produto chegar, oferecer similar ou indicar o estabelecimento que oferece aquele produto. “Isso é bastante educado e demonstra maturidade de quem está fazendo o atendimento”, reforça o professor. E engana-se quem pensa que o processo de venda termina no momento em que o consumidor leva o produto para casa. O pós-venda está incluído no pacote de bom atendimento, e é justamente ele que fideliza clientes. “Uma pessoa só é cliente depois que fez o segundo negócio com você. Antes, não se pode chamá-la de cliente. E como ela fará o segundo negócio? Sendo bem atendida e bem tratada no primeiro”, enfatiza o professor. “Se o vendedor confia no produto e serviço que oferece, tem que ligar e perguntar se o consumidor ficou satisfeito. Se ele disser que há um problema, leve a sério e tome como problema. Não tome essa pessoa como chata. É melhor que ela fale para você do que para os outros ou nas redes sociais”, finaliza.  


ACIM - ASSOC. COM. E EMPRESARIAL DE MARINGÁ, CNPJ 79.129.532/0001-83, RUA BASÍLIO SALTCHUCK, 388 CEP 87.013-190 CENTRO - MARINGÁ PR